A Voz do Povo do Oeste

prisoes-por-crimes-ambientais-aumentam-nas-regioes-norte-e-noroeste-do-parana-em-2020

Prisões por crimes ambientais aumentam nas regiões norte e noroeste do Paraná em 2020

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email


Neste ano, 285 pessoas foram detidas pela Polícia Ambiental nas duas regiões; multas tiveram redução de 11,9% em relação ao ano passado. Crimes ambientais persistem
O número de prisões por crimes ambientais aumentou em 2020 nas regiões norte e noroeste do Paraná, de acordo com a Polícia Ambiental. Foram 285 pessoas detidas até o início de dezembro deste ano, contra 275 em 2019 durante ações de fiscalização.
De acordo com o tenente Ulisses de Deus Gomes, subcomandante da 3ª Companhia da Polícia Ambiental, o número de abordagens feitas pelas equipes também cresceu, assim como a quantidade de pessoas encaminhadas para prestar esclarecimentos.
Por outro lado, o número de multas ambientais emitidas pela polícia nas duas regiões teve redução de 11,9%, saindo de 562 no ano passado para 495 em 2020. Essas multas renderam mais de R$ 2,3 milhões.
Nas regiões norte e noroeste, mais de 98 mil hectares de vegetação nativa foram destruídas ao longo do ano, mesmo com ações de combate ao desmatamento, informou a polícia.
A caça clandestina continua sendo ponto de preocupação para a Polícia Ambiental. Mais de 100 armas de fogo usadas por caçadores foram apreendidas em 2020.
Para a polícia, diversos crimes ambientais ainda são cometidos motivados por antigos costumes – que não são mais tolerados.
Mais de 100 armas de fogo usadas por caçadores foram apreendidas em 2020
RPC/Reprodução
“A caça, criar passarinhos, a pesca sem regulamentação eram atividades cotidianas da população que com o passar do tempo foram regulamentadas e, muitas vezes, a cultura das pessoas mais antigas não acompanhou e isso é repassado aos filhos”, afirmou o tenente.
Segundo ele, a educação ambiental é uma das ferramentas para tornar a relação com a natureza mais consciente.
“Mudar para uma cultura onde o homem possa conviver em harmonia com a natureza, mantendo suas atividades, mas respeitando os limites que a lei regulamenta é o caminho que a gente tem para seguir”, disse Gomes.
Vídeos mais assistidos do G1 Paraná
Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Redação A Voz do Povo Do Oeste

Redação A Voz do Povo Do Oeste

Notícias que talvez Você Goste

Rolar para cima