A Voz do Povo do Oeste

eua-acompanham-‘com-cuidado’-nova-variante-do-coronavirus-no-reino-unido

EUA acompanham ‘com cuidado’ nova variante do coronavírus no Reino Unido

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Os Estados Unidos observam “com muito cuidado” a variante do vírus que se propaga no Reino Unido, disseram autoridades da saúde, observando que a proibição de viagens para aquele país não está em discussão neste momento.

Moncef Slaoui, consultor da operação de logística “Warp Speed” do governo para comprar e distribuir vacinas contra a Covid-19, disse à CNN que “ainda não se sabe” se esta variante do vírus está presente no país. 

Estamos “examinando isso com muito cuidado” em conjunto com os Institutos Nacionais de Saúde e os Centros para Controle e Prevenção de Doenças, disse ele.

No momento, nenhuma cepa do vírus parece ser resistente às vacinas disponíveis, ressaltou.

“Esta variante específica no Reino Unido, acredito, é muito improvável de ter escapado da imunidade da vacina”, disse Slaoui.

“Não acho que haja motivo para alarde neste momento”, concordou o almirante Brett Giroir, o oficial que supervisiona os testes de coronavírus nos Estados Unidos, quando questionado pela rede ABC.

Ele também estimou que por enquanto não é necessário suspender os voos do Reino Unido, como vários países europeus fizeram. 

Slaoui afirmou à CNN que quase 8 milhões de vacinas serão distribuídas nos Estados Unidos na segunda-feira: 2 milhões de doses do imunizador da Pfizer/BioNTech e 5,9 milhões da Moderna. 

Os comentários de Slaoui vieram após reclamações de alguns estados sobre atrasos no recebimento da vacina da Pfizer/BioNTech, um atraso pelo qual o general Gus Perna, que supervisiona a operação Wrap Speed, se desculpou no sábado.

“Vamos trabalhar e aprender com os nossos erros”, disse Slaoui. O governo espera que 20 milhões de pessoas sejam vacinadas até o final do ano ou na primeira semana de janeiro.

O vice-presidente Mike Pence já foi vacinado publicamente e o presidente eleito Joe Biden o fará na segunda-feira (21). Já o presidente Donald Trump não indicou se será vacinado.

Preocupado com o ceticismo de muitas pessoas sobre as vacinas, Giroir encorajou Trump a se inocular para o bem de sua saúde “e também para construir mais confiança entre as pessoas que o seguem tão de perto”.

Mas o encarregado de Saúde Pública Jerome Adams disse à CBS que, por causa dos anticorpos que Trump recebeu quando contraiu a covid-19, “esse é realmente um cenário em que dizemos às pessoas que talvez devam esperar para receber a vacina”.

 

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Redação A Voz do Povo Do Oeste

Redação A Voz do Povo Do Oeste

Notícias que talvez Você Goste

Rolar para cima