A Voz do Povo do Oeste

com-hospitais-proximo-ao-limite-da-capacidade,-profissionais-de-saude-relatam-pressao-no-parana

Com hospitais próximo ao limite da capacidade, profissionais de saúde relatam pressão no Paraná

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email


Em Cascavel, no oeste do estado, trabalhadores lidam com superlotação e casos graves de Covid-19. Alguns funcionários já deixaram o trabalho por questões psicológicas. Lotação de leitos de UTI deixa pesada a rotina de profissionais da saúde
Profissionais de saúde que trabalham em hospitais de Cascavel, no oeste do Paraná, relatam a pressão que estão sofrendo por causa da alta procura por atendimentos médicos provocada pela pandemia do novo coronavírus.
Segundo a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), Cascavel tem 12.664 casos confirmados e 201 mortes provocadas pela doença. Em todo o Paraná são 6.744 óbitos e 329.297 diagnósticos.
CORONAVÍRUS NO PARANÁ: Veja as principais notícias
Nesta segunda-feira (14), Cascavel registrava lotação de 92% nos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) reservados para o tratamento da Covid-19.
“Tem sido dias bem pesados de trabalho. Isso gera muitas perguntas e gera aflição também”, disse o médico Gustavo Henrique, que trabalha no Hospital de Retaguarda da cidade.
Funcionários do hospital enviaram imagens à RPC que mostram a situação do local, que trata pacientes em estado grave por causa da Covid-19. Assista acima.
Médico que ficou internado com Covid-19 lamenta descaso da população e desabafa: ‘Entubei dois colegas que morreram’
Médica de Curitiba relata momento crítico no combate ao novo coronavírus: ‘A gente tem que escolher qual paciente vai para a UTI’
O diretor do Hospital de Retaguarda, Lísias Tomé, disse que o espaço enfrenta superlotação.
“Estamos torcendo para que nenhum dos pacientes de enfermaria complique. Senão, vamos ter que tirar do Hospital de Retaguarda e procurar leitos em outros hospitais”, disse.
Taxa de ocupação de leitos da UTI para Covid-19 é de 92% nesta segunda-feira (14)
RPC/Reprodução
HU de Cascavel
A situação se repete no Hospital Universitário (HU) de Cascavel, que é o maior da região, com 30 leitos de UTI. Profissionais dizem que, às vezes, leitos são reocupados assim que a vaga se abre.
A pressão também tem afetado a saúde mental dos profissionais de saúde. A diretora de enfermagem do HU, Sara Treccossi, disse que alguns trabalhadores já pediram para deixar o trabalho.
“Já tive pessoas que saíram por problemas psicológicos mesmo, que não aguentaram a pressão do ambiente”, disse.
Esta é a segunda vez que os hospitais de Cascavel se aproximam da lotação máxima. A primeira vez foi no fim de maio, quando a estrutura contava com 30 leitos a menos.
O médico do HU Gabriel Kreling disse que é muito difícil sair de um plantão onde um paciente morreu e encontrar nas ruas bares cheios, com pessoas que não usam máscara por não gostar do equipamento.
“Para nós profissionais da saúde isso é inadmissível, e essa sensação para gente é muito difícil de lidar”, desabafou.
VÍDEOS: Boa Noite Paraná de segunda-feira, 14 de dezembro
Veja mais notícias da região no G1 Oeste e Sudoeste.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Redação A Voz do Povo Do Oeste

Redação A Voz do Povo Do Oeste

Notícias que talvez Você Goste

Rolar para cima