A Voz do Povo do Oeste

mineiros-que-moram-no-reino-unido-aguardam-por-vacina:-‘esperanca’

Mineiros que moram no Reino Unido aguardam por vacina: ‘Esperança’

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Mineiros que moram no Reino Unido, que nesta terça-feira (8) iniciou a vacinação em massa contra a Covid-19, não escondem a expectativa de se verem protegidos do novo coronavírus. “É o retorno da esperança de uma vida normal”, descreveu a jornalista e blogueira Cristina Barroca, de 35 anos.

Natural de Miraí, na Zona da Mata, ela, o marido e a filha vivem desde setembro de 2019 em Ely, Cambridgeshire-Inglaterra. O governo local ainda não detalhou o cronograma completo da imunização de toda a população e, por isso, os brasileiros não sabem quando vão receber as doses da vacina. Mesmo assim, o dia histórico já é celebrado.

“O início da vacinação traz esperança não só para quem mora aqui, mas para todo o mundo, que agora vira os olhos para o Reino Unido”, declarou o belo-horizontino e engenheiro de software Alexandre Amantea, de 40 anos.

A felicidade do casal só não é completa, segundo eles, porque os parentes que vivem no Brasil ainda não têm nem previsão de quando vão ser imunizados contra o vírus. “O coração fica dividido porque, apesar da gente estar aqui feliz, a gente fica na expectativa de ver o nosso país passar por esse sentimento de expectativa de liberdade que a gente está podendo experimentar”, ponderou Cristina.

Cautela

Embora estejam esperançosos e contando os dias para a imunização, os mineiros pregam cautela com relação aos rumos da pandemia no Reino Unido. “Espero que a 1ª etapa de imunização em idosos, profissionais de saúde e vulneráveis não traga uma sensação de relaxamento aos mais jovens. O governo daqui, assim como sua equipe de cientistas, alerta que é de fato apenas o começo da luta contra a Covid”, pontuou o belo-horizontino.

“Começar um processo de vacinação não é população vacinada. Não acho que deva ser invalidado qualquer medida restritiva, mesmo após esse primeiro lote de vacinação. É um processo bem longo, mas vamos enfrentar e vencer”, completou a mineira. 

O cuidado reforçado pelos mineiros, porém, não invalida a expectativa de se verem totalmente livres após meses de confinamento impostos pela Covid-19. “Ser o primeiro país a iniciar o processo de vacinação também nos coloca a frente na corrida para finalizar esse processo, o que nos daria segurança para retomar a vida com certa normalidade mais rápido” apontou Cristina, que tem como paixão viajar.

A mineira, que já rodou por cerca de 20 países, não vê a hora de voltar a conhecer diferentes lugares do mundo.

Imunização

O Reino Unido começou nesta terça-feira vacinar sua população contra a Covid-19 com o fármaco da norte-americana Pfizer e da empresa alemã de biotecnologia BioNTech. O país europeu é o primeiro a iniciar campanha de vacinação em massa de um imunizante com eficácia cientificamente comprovada.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Redação A Voz do Povo Do Oeste

Redação A Voz do Povo Do Oeste

Notícias que talvez Você Goste

Rolar para cima